100 dias do Governo de todos: Humanização, inclusão e desenvolvimento retornam à prefeitura

Desde o dia 1° de janeiro de 2021, a prefeitura de Dona Inês foi transformada de maneira significativa, valores e ideais, outrora esquecidos, voltaram a reger as ações do poder público municipal, em especial, aquelas que estão sediadas na prefeitura.

No gabinete, que voltou a existir, foi onde houve a maior mudança. Agora, o povo é recebido pelo Prefeito, que atende todo mundo, sem distinção, que prosea, conversa, faz questão de mostrar que ali é a casa do povo, lugar de aconchego e carinho para aqueles que necessitam requisitar algo ou meramente conversar, saber da gestão, dos planos, da ideias, de tudo que houver e couber, pois o gabinete está lá justamente para isso. O gabinete não é a sala do Prefeito, é a sala do povo, que vai lá para conversar com o Prefeito, a distinção é necessária, principalmente em nosso município, que passou anos sem ter um gabinete. O brilho no olhar de quem chega e é bem recebido, um gesto de carinho de de dever, colocar o povo em destaque, como o protagonista das coisas, que surpreendentemente tinha voltado a ser raridade. Muita gente não ia sequer na prefeitura, com medo de levar “Carão”, se a necessidade apertasse e não houvesse outro jeito, tinham de sair às ruas, pois gabinete não tinha. Hoje sobre gabinete, em todos os sentidos, esse espírito não se limita a uma sala, está em toda a prefeitura, em todas as secretarias: não atender, não receber, mas acolher o povo, acolher as necessidades, tomar para si os dramas do povo, se inspirar na perseverança do mais humilde e se juntar a ele em um coro por melhoria e desenvolvimento.

Um espírito que contagia, uma energia que se espalha e inspira a todos que estão envolvidos na gestão. A satisfação em servir é o dogma principal desta gestão, não há status aqui, o poder público não significa dar poder a quem das a administração, mas sim reconhecer o poder do povo, e servi-lo da melhor maneira. Do povo e para o povo, esse é o verdadeiro significado de poder público, e isso aprendemos diariamente com aqueles que vivem para o povo, quem veio da pobreza e hoje representa os pobres, pessoas que estão, merecida e honrosamente, imbuídas de capacidade de agir em prol de todos. Querer servir, com um sorriso no rosto e alegria no coração, é assim que deve ser, é mostrar que o povo terá o tratamento que merece, que de poderoso, só o povo, que ninguém tem direito de maltratar o pobre, o gestor público tem de abraçar, acolher, trazer para perto e mostrar que a população fará parte e terá direito e estar inclusa diretamente nos rumos do nosso município.

E quando falamos em inclusão, não se limite a pensar, queremos incluir todos, e incluir não significa apenas acolher, mas também dar a oportunidade de fazer parte ativamente da transformação. É olhar para o outro e ver a si mesmo, a imagem e semelhança, em você e nos outros, daquele que nos criou. Não se limita a capacidade de ninguém, o preconceito é o único sem vez nem voz, todos podem colaborar, e colaboram muito! O dia a dia é pesado, a rotina, a necessidade de render de acordo com as expectativas, que são sempre as mais altas, a dificuldade se apresenta, mas só quem tem a oportunidade de superá-la poderá, de fato, fazê-lo.

Reconhecer, valorizar e festejar a democracia, tratar o povo com carinho e respeito, principalmente, e saber que aqui estamos, que somos passageiros, mas o povo será o eterno protagonista dessa história. Um governo de todos, feito por todos e para todos, assim é, assim será.